Revista PechinchãoRelatórios e análises do mercado do Picodi.com

Onde se pode viver de uma pensão de velhice?

PicodiAbril 12, 2022

Os analistas do Picodi.com pesquisaram a quantidade de benefícios de reforma em 44 países em todo o mundo e verificaram se este dinheiro proporciona pelo menos uma qualidade de vida mínima.

Tomámos em conta as pensões do Estado, ou seja, os benefícios universais e regulares para as pessoas em idade de reforma, o chamado primeiro pilar.

Em vários países, as pensões não são tributáveis nem contributivas. Em alguns países, a pensão é um rendimento sobre o qual é necessário pagar imposto. Há também países onde uma contribuição de seguro da saúde é cobrada sobre a pensão. Para fazer uma comparação justa, foram tidos em conta os valores líquidos, ou seja, o dinheiro que o pensionista recebe realmente em sua conta ou em dinheiro.

PENSÃO DE VELHICE AO REDOR DO MUNDO

Dos 44 países considerados, as pessoas que vivem na Noruega recebem a maior pensão – 1 797 € por mês, de acordo com as últimas estatísticas oficiais. A Suíça (1 704 €) e os EUA (1 482 €) também se distinguem pela alta pensão estatal.

Em Portugal, segundo os últimos dados do Instituto de Segurança Social, mais de 2 milhões de pessoas recebem a pensão com valor médio de 556 € (18º lugar no ranking).

Os reformados da Albânia (128 €), Moldávia (128 €) e Ucrânia (110 €) recebem os valores mais baixos.

Nota: os valores indicados neste relátorio representam apenas o primeiro pilar de pensão. A construção do segundo pilar (Programas de assistência aos empregados) ou do terceiro (Previdência privada) não é obrigatória. Em regra, o dinheiro destas poupanças pode ser retirado por um pensionista uma vez, ao atingir a idade da reforma, ou gradualmente. Por conseguinte, não é possível incluir estes pilares no presente estudo.

A cesta básica dos reformados

Para o propósito deste estudo, criamos uma cesta de alimentos convencional e comparamos os preços destes produtos com a pensão média. A cesta consiste em 10 grupos de produtos: pão, leite, iogurte, ovos, arroz, queijo, carne, peixe, frutas e legumes. Esta lista é uma lista recomendada pela OMS e pelo Ministério da Saúde local para a nutrição de uma pessoa idosa. Embora a lista seja muito limitada, estes produtos, nas quantidades apresentadas, são suficientes para satisfazer as necessidades mensais mínimas de nutrientes de uma pessoa idosa.

  • Pão (12 un. de 500 g) – 12,60 €
  • Arroz (3 kg) – 2,76 €
  • Ovos (20 un.) – 2,87 €
  • Leite (12 l) – 7,56 €
  • Iogurte (5 l) – 7,60 €
  • Queijo (1,5 kg) – 10,23 €
  • Aves e carne bovina (3 kg) – 13,89 €
  • Peixe (3 kg) – 17,97 €
  • Frutas (9 kg) – 11,58 €
  • Legumes (15 kg) – 16,81 €

CESTA BÁSICA DUM REFORMADO

O valor da cesta de alimentos básicos em março de 2022 é 103,87 €. Assim, os alimentos básicos que assegura apenas sobrevivência equivalem a 18,7% da pensão média portuguesa.

Onde se pode viver de uma pensão de velhice

Embora as preferências alimentares e percepções de uma vida confortável variem de região para região e mesmo por pessoa, decidimos comparar os preços dos produtos alimentares básicos com as pensões médias dos diferentes países.

DESPESAS ALIMENTARES

A melhor relação entre os preços dos alimentos e as pensões foi registada na Noruega, Áustria e França. Nestes países, a cesta básica de produtos representa 13,4%, 13,7% e 14,3% da pensão média, respectivamente.

Neste ranking, Portugal ficou em 14º lugar entre 44 países, com o resultado 18,7% à frente de países como Suiça (19,8% e 16º lugar), Polónia (20,4% e 17  lugar) e Brasil (41,4% e 34º lugar).

Entre os países incluídos neste estudo, a situação dos reformados na Albânia, Belarus e Ucrânia é a pior. Só a cesta básica de alimentos consome, respectivamente, 72,8%, 76,7% e 84,9% do valor da pensão.

Metodologia

Neste estudo, comparamos as últimas estatísticas oficiais disponíveis sobre pensões de velhice públicas médias, ou seja, o primeiro pilar da pensão da velhice. Os valores representam as pensões líquidas mensais e vêm de sites oficiais de governos, ministérios ou empresas de previdência social, com deduções obrigatórias, se houver Em países onde as autoridades relevantes utilizam valores semanais, multiplicamos os montantes por 52 (o número de semanas completas em um ano) e dividimos por 12.

O conjunto de alimentos utilizados no estudo é uma cesta básica de alimentos, criada apenas para fins estatísticos. As quantidades dadas foram calculadas com base nas recomendações da OMS e de alguns ministérios da saúde sobre os padrões mínimos de consumo de alimentos para idosos. Os preços dos produtos da cesta básica vêm do portal numbeo.com, onde os consumidores de todo o mundo monitoram os preços dos alimentos e de outros produtos e serviços.

Convertemos as moedas locais usando a taxa de câmbio média do Google Finance para o primeiro trimestre de 2022.

A lista de fontes está disponível neste link.

Uso público

Os dados infográficos e estatísticos apresentados no relatório podem ser utilizados livremente tanto para fins comerciais como não comerciais, indicando o autor do estudo (Picodi.com) com um link para esta subpágina. Se você tiver alguma dúvida, entre em contato conosco: research@picodi.com.