O seu filho vai para a escola? Prepare a sua carteira!

Picodi

O primeiro dia na escola é um grande evento tanto para os filhos como para os pais. Veja quanto custa colocar o seu filho na escola em Portugal e nos outros países do mundo.

Não é nenhum segredo que com a chegada de Setembro, qualquer família com os filhos em idade escolar sofre um peso extra no seu orçamento. Mas quanto é que realmente custa colocar o seu filho na escola? Para responder essa pergunta, decidimos analisar os custos dos materiais escolares para os alunos do 1º ciclo em 2018 em Portugal e no mundo, e também comparar os gastos dos portugueses com as despesas de Educação dos pais em 36 outros países, onde o ano letivo começa em Agosto ou Setembro.

Os dados relacionados com os preços foram recolhidos na base de várias lojas do segmento disponíveis em 36 países. O cesto de compras abrange 27 produtos das seguintes categorias: mochilas, papelaria, vestuário de Educação Física. Para calcular o preço médio dos produtos incluídos na pesquisa escolhemos os itens que pertencem à categoria dos preços baixos e médios. O valor dos produtos pesquisados foi analisado em Euro. Quanto às moedas estrangeiras, utilizamos a taxa de câmbio de Julho 2018.

Lista de material escolar em Portugal

QUANTO CUSTA O MATERIAL ESCOLAR?

Para minimizar a lista dos materiais escolares necessários para alunos em Portugal, agrupamos os produtos em 4 categorias: Mochilas, Papelaria, Papelaria artística, Vestuário.

Primeiramente pesquisamos o preço da mochila, como um acessório imprescindível para qualquer aluno. Enquanto os manuais digitais são ainda coisa do futuro, é preciso levar em conta a qualidade e a ergonomia de uma mochila para reduzir os efeitos negativos do peso extra carregado pelo seu filho. Vale a pena lembrar que o aluno precisa de uma mochila com capacidade de carregar os manuais, cadernos, estojo, lanche e uma garrafa de água, feita de tecidos resistentes para durar todo o ano. Lojas online de Portugal oferecem mochilas escolares por um preço médio de 5,5€. Porém, os acessórios carregados naquelas mochilas são quase 6 vezes mais caros, já que para comprar todos os cadernos, capas protectoras, pastas, estojos, lápis, canetas, borrachas, apontadores e réguas, ou seja, os produtos abrangidos pela categoria Papelaria os pais precisam gastar em média 26€. Este é o gasto mais alto entre as categorias que analisamos na nossa pesquisa.

A escola cuida também da criatividade dos nossos filhos. E para preparar uma criança para atividades artísticas, é necessário equipá-la com uma tesoura, cola, papel para trabalhos manuais, tintas de desenho, lápis de cor, pincéis, marcadores e outros. Tudo isso custará mais ou menos 25,5€.

A educação holística exige também o desenvolvimento físico e por isso na escola primária o esporte é uma atividade que não pode faltar. O vestuário da Educação Física para um aluno do 1º ciclo costuma ser composto por calças ou calções desportivos, camisola ou t-shirt desportiva e um par de ténis. Um conjunto desse custa por volta de 20€. Somando todos os gastos, os pais devem preparar-se para um esforço financeiro de 77€ por cada filho que entrar na escola primária em 2018.

Pais portugueses vão gastar 9,3% do seu salário para colocar o seu filho na escola. E como é a situação em outros países do mundo?

QUANTO OS PAIS EM VÁRIOS PAÍSES DO MUNDO GASTAM EM MATERIAL ESCOLAR?

Este ano o custo médio dos acessórios escolares para um aluno português corresponde a 9,3% de um salário médio em Portugal, ou seja, 824,19€ (líquido). Comparando com os alemães, que vão gastar “apenas” 4,7% do seu salário nos mesmos produtos, pode parecer que os preços de papelaria em Portugal são muito elevados. Porém, é o salário médio que faz a diferença. Os alemães ganham em média 2302€ por mês, ou seja, quase 3 vezes mais do que os portugueses. A comparação com a Espanha, traz as conclusões parecidas. Os acessórios escolares vão custar aos espanhóis 5,62% do seu salário médio que em 2018 é quase 2 vezes maior do que em Portugal.

Mesmo assim, a situação de Portugal não é a pior na Europa. As despesas escolares vão afetar ainda mais o orçamento familiar dos russos (18,91%), romenos (13,37%), gregos (11,3%). À nível mundial, colocar uma criança na escola de ponto de vista dos gastos em materiais escolares em comparação com o salário médio vai ser mais difícil para os moldavos (36,6%), nigerianos (54,74%) e vietnamitas (32,71%). Enquanto na Suécia, Canadá, França, EUA e Arábia Saudita a proporção dos gastos contra o salário médio não vai ultrapassar os 4%.

***

Gostaria de compartilhar a nossa análise sobre as despesas escolares com os outros? Sinta-se à vontade de utilizar os dados e infográficas deste artigo para os objetivos comerciais e não comerciais. Não se esqueça de apontar o autor da pesquisa (Picodi.com) junto com o link para a nossa subpágina.