Revista PechinchãoRelatórios e análises do mercado do Picodi.com

Bibliotecas públicas: onde é o acesso aos livros mais fácil?

PicodiMaio 24, 2022

As bibliotecas públicas não fornecem apenas acesso à literatura e ao conhecimento. Segundo a American Library Association, as bibliotecas públicas desempenham também um papel importante na construção e integração da comunidade local, proporcionando aos residentes um local de encontro e organização de eventos culturais.

Os analistas do Picodi.com decidiram descobrir quais as capitais e principais cidades em todo o mundo que têm o acesso mais fácil às bibliotecas públicas.

Neste relatório, tivemos em conta bibliotecas geridas por autoridades municipais, bem como bibliotecas regionais e nacionais localizadas dentro dos limites da cidade. Tomámos como índice o número de bibliotecas por 10.000 habitantes.

Disponibilidade de bibliotecas nos países europeus

As bibliotecas públicas permitem que todos os habitantes utilizem as suas coleções normalmente de forma gratuita.

Entre as 39 cidades europeias incluídas neste estudo, o acesso mais fácil às bibliotecas públicas é em Bruxelas. Existe uma biblioteca por cada 10.000 habitantes. Em comparação, o número de bibliotecas por 10.000 residentes na capital espanhola é de apenas 0,19. Por outro lado, em Paris – 0,34.

​​DISPONIBILIDADE DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS NA EUROPA

Lisboa nesta classificação é colocada na 20ª posição: 10 mil lisboetas têm acesso à 0,33 biblioteca. O número total de bibliotecas públicas é de 18, tendo em conta as instituições provinciais e nacionais, enquanto que, segundo os últimos dados dos INE, 545.923 pessoas vivem em Lisboa.

Os residentes de Istambul têm o acesso mais difícil aos livros gratuitos. Para 10 mil pessoas, há apenas 0,03 biblioteca. A mesma situação pode ser encontrada em Zurique e Sofia – 0,05 bibliotecas por 10 mil habitantes.

Metodologia e fontes de dados

O estudo incluiu bibliotecas públicas municipais, regionais e nacionais localizadas dentro dos limites administrativos de cada cidade. Bibliotecas universitárias, privadas e especializadas foram omitidas.

Os dados provêm dos sítios oficiais de bibliotecas individuais, redes de bibliotecas públicas, e autoridades locais que supervisionam ou recolhem dados estatísticos sobre estas instituições.

A informação sobre o número de habitantes provém de fontes oficiais: dados de censos ou previsões fornecidas por organismos locais de auto-governo ou serviços de estatística.

A lista de fontes está disponível aqui.

Uso público

Os dados infográficos e estatísticos apresentados no relatório podem ser utilizados livremente tanto para fins comerciais como não comerciais, indicando o autor do estudo (Picodi.com) com um link para esta subpágina. Se tiver alguma dúvida, por favor contacte-nos: research@picodi.com.